domingo, 5 de junho de 2011


A máquina dita injetora, foi patenteada em 1872 por dois americanos, Hiatt e Isaac. Esta injetora consistia em uma prensa manual com sistemas de aquecimento para os materiais plásticos. O processo de injeção teve seu início de fabricação de máquinas nas décadas de 30 e 40, com máquinas do tipo pistão com capacidade aproximada de 200 gramas de moldagem.


O processo de moldagem por injeção é, basicamente, um dos processos mais utilizados no campo dos plásticos, devido à sua rápida produção de peças com precisão e qualidade, e pela variedade das formas que as peças podem apresentar-se.
Conformar o material plástico pelo processo de injeção, é obter a forma desejada de uma peça (objeto) através de pressão e calor. O calor tem como função, amolecer o plástico tornando-o fundido e pastoso.
A pressão tem como função, deslocar a massa plastificada (fundida) para as cavidades do molde (forma).
A moldagem por injeção consiste em um processo CÍCLICO (repetição a cada formação de peça), onde os materiais plásticos (grãos ou pó) são aquecidos até a sua PLASTIFICAÇÃO (amolecimento) e assim, INJETADOS (empurrados para dentro de um molde relativamente frio cuja cavidade tem a forma do produto desejado).  O processo posterior consiste na abertura do molde que proporcionará a EXTRAÇÃO da peça.

- IMPORTÂNCIA


A injeção de materiais é de suma importância para a formação de peças plásticas, pois permite que sejam feitas peças com características simples ou complexas, com cores e tamanhos variados.  A obtenção de tais peças depende exclusivamente do molde ou matriz, onde a peça apresenta-se com a mesma forma e dimensões semelhantes.  As peças feitas por este processo são semi-acabadas ou acabadas, pois nem sempre precisam de um acabamento posterior, como uma pintura ou um recorte.
O processo pode ser considerado de alto custo, considerando-se o que se gasta para confeccionar um molde, por mais simples que ele seja.  Este custo começa a ser reduzido a partir do momento que se inicia a confecção das peças em grande quantidade.  Através disto, pode-se observar uma relação custo do molde X custo do produto.
O processo de injeção é adequado para produção em massa, uma vez que a matéria-prima pode geralmente ser transformada em peça pronta em uma única etapa. Ao contrário da fundição de metais e da prensagem de durômeros e elastômeros, na injeção de termoplásticos com moldes de boa qualidade tem-se um bom controle sobre a formação das rebarbas, gerando pouco retrabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Follow by Email